Água para beber! Água para se ganhar dinheiro! Água para se preservar!

A água se tornou tão importante que até ganhou um dia só para ela, dia 22 de Março, Dia mundial da Água. O nosso planeta não deveria ser chamado de Terra, mas sim de Água, pois 2/3 dele é água, porem apenas 0,008% é potável para uma estimativa de praticamente 10 bilhões de habitantes neste planeta em 2050.

 

Habitantes estes que necessitam de uma média de 110 litros/dia para viver descentemente. Ai a conta não fecha!


As grandes potencias e ONGs que são mantidas por estas grandes potencias acusam o Brasil e mais especificamente o nosso agronegócio de ser o grande vilão do mundo, principalmente a pecuária. Porem se o mundo todo come do alimento produzido por nós, o mundo todo deveria pagar parte da nossa conta.


Podemos verificar facilmente que os grandes centros habitacionais no Brasil e no mundo é quem causam o aquecimento global, e é sabido por todos que as pastagens quando bem manejadas elas contribuem com a redução do CO2 na atmosfera.


Os nossos pecuaristas e agricultores são todos os dias multados com multas milionárias por não preservarem suas reservas e com isso todo pecuarista vem a duras penas cercando e isolando suas reservas e áreas de preservação permanente. O que ninguém fala é que 1 KM de cerca custa algo em torno de R$ 8.000,00 e esta conta ele paga sozinho.


Para se recuperar uma pastagem em média é necessário investir-se algo entorno de R$1.000,00/ha e para se reformar R$ 1.800,00 a R$ 2.000,00/ha. Mais uma conta para se pagar sozinho.


A grande maioria dos pecuaristas, cada um dentro dos seus limites, estão realizando alguma ação de recuperação ou reforma de suas pastagens, aja visto que a expansão de áreas com a pecuária praticamente parou e pelo contrário muitas destas áreas foram liberadas para a recomposição de reservas ou o uso com agricultura e não mais voltarão para a pecuária. O rebanho nacional continua a crescer mostrando ao Brasil e ao mundo o profissionalismo da nossa pecuária.


A cada dia que passa a demando por consultoria especializada vem aumentando a demanda e o nível técnico vem somente subindo e tudo isso feito com recurso dos próprios pecuarista na grande maioria das vezes.


Portanto eu creio que em mais alguns anos o mundo deverá criar também o “dia do pecuarista brasileiro”.

 

circuito da pecuaria agua para beber


Mas como ainda tem muita gente precisando de orientação técnica e a nossa Feed & Food tem uma das maiores e melhores penetrações no Agronegócio vamos aqui aproveitar o momento para das algumas dicas sobre o bom uso das águas.


1. Uma Unidade Animal (animal de 450 kg), consome em média 50 litros de água/dia, este valor pode variar de 18 a 70 litros. Este consumo acontece em 4 a 5 vezes no dia. Portanto é fundamental o planejamento da disponibilidade deste volume de água para o rebanho.

2. A localização do bebedouro é fundamental para o sucesso de resultados do rebanho, pois quanto mais central for a localização da aguada, maior será o resultado. Para bovinos de carte a distância máxima recomendada do fundo do pasto é de até 600m e para bovinos de leite é 300m. Lembrando que se a área for mais acidentada esta distância deverá cair.

3. Para aqueles pecuaristas que usam das aguadas naturais como açudes ou represas é fundamental que se realize periodicamente a limpeza e o desassoreamento dos mesmos de modo a aumentar a reserva de água.

4. Da importância da preservação das nascentes, lembro que consta nas nossas leis ambientais a necessidade de se preservar ou regenerar 50 metros no entorno da nascente. Esta medida irá aumentar em muito o volume de água.

5. Das APPs (áreas de preservação permanente) nas margens dos rios, isso evita em muito o processo de assoreamento destes e é fundamental para a sustentabilidade deles no amanhã. Existe uma regra de recuo desta faixa que varia em função da largura do rio.

6. Medidas de proteção do solo evitando a erosão ajuda muito na preservação. O uso de curvas de nível deve ser adotado quando a declividade massa dos 30%. Lembro que a implantação do que chamamos de travesseiro, ou seja, a interrupção das curvas a cada 30 ou 40 metros ajuda muito a evitar que as curvas estourem.

7. Construção de cercas no sentido morro abaixo não é recomendado principalmente em regiões de grande declive, pois o bovino tende a caminhar junto as cercas e provocar erosão.

8. Usar gramíneas corretas para a topografia local, de forma a evitar com que o solo fique exposto as chuvas.

9. Detectar o surgimento de camadas de compactação no solo, e se existir trabalhar com implementos adequados para minimiza-las. Isso é muito comum em pastagem degradada.

10. Finalmente buscar realizar um bom manejo das pastagens de forma a prepara-las para o período da seca e evitar a sua degradação. Lembro que pastos mais bem divididos ajuda muito.


Vamos encerrando por aqui pois a edição da nossa revista não pode esperar.


Grande abraço a todos e viva a nossa pecuária por preservar as águas do nosso Brasil.

Wagner Pires

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

circuito da pecuaria pecuaria sustentavel pastagem sustentavel logo
Atendimento:

Seg.-Sex. (08h às 18h)

wpires@circuitodapecuaria.com.br

www.circuitodapecuaria.com.br

Cel/Whats: 55 19 98112-5298

Fone: 55 19 3894-1865

Skype: wagnerpires1

Rua Ernesto Ferrari, 54
Jd. Explanada II
Indaiatuba/SP
CEP - 13335-585

Cadastre-se e receba nossas novidades!

Passo a Passo - 10 Etapas