Não São as Plantas Daninhas Que Sufocam as Pastagens

 

As plantas daninhas podem surgir em uma pastagem de varias formas.

 

Pelo manejo inadequado das pastagens, permitindo-se que o rebanho rebaixe as gramíneas demasiadamente e com isso ela perca o vigor da rebrota e assim a planta daninha ganha espaço na corrida pelo espaço e pela luz.

 

Pela queda na fertilidade do solo, onde por consequência a gramínea forrageira perde o ritmo de crescimento e com isso passa a ter uma rebrota mais lenta. As plantas daninhas normalmente são mais tolerantes a baixa fertilidade e desta forma ganham espaço.

Pela formação inadequada das gramíneas através de um preparo de solo mal feito e por consequência as gramíneas não fecham totalmente o terreno e as invasoras acabam surgindo no meio destas.

Pelo fogo que possa ocorrer na pastagem e desta forma acaba por quebrar a dormência de muitas invasoras ou diminuir a fertilidade do solo.

Formação de pastagem com o uso de semente de baixa qualidade e que venha com a presença de plantas daninhas.

Poderíamos continuar enumerando inúmeras situações que provocam o surgimento das plantas daninhas em uma pastagem, porem o mais importante é analisarmos as atitudes tomadas ou a serem tomadas para controlar as invasoras na pastagem.

O primeiro pensamento que o pecuarista tem quanto as invasoras é que a pastagem irá acabar por sufocar as invasoras e elas vão desaparecer e para isso ele veda o pasto. Temos que considerar que ele não esta totalmente errado, pois existem algumas invasoras que são anuais e poderão desaparecer com a pastagem mais alta, porem nem sempre isso ocorre e na maioria das vezes a tentativa é frustrada.

Outro pensamento que passa pela cabeça do pecuarista é o uso de roçadeira, rápido e econômico, porem quando ele faz uso da roçadeira ele acaba roçando também o pasto na grande maioria das vezes a roçadeira provoca o perfilhamento da invasora e esta retorna mais vigorosa do que nunca. É importante destacar que muitas vezes ele soluciona o problema temporariamente.

A ultima alternativa aventada pelo pecuarista é o uso de herbicida, o controle químico. Este apresenta um custo inicial mais elevado porem ele é definitivo, ou seja, ele resolve definitivamente o problema. Como este tipo de controle é o de custo mais elevado é prudente que se consulte um técnico especializado nesta área. Normalmente as empresas fabricantes e seus distribuidores disponibilizam este profissional ao pecuarista e sem custo.

O uso de herbicida requer equipamentos específicos, regulados devidamente e sem falar que o principio ativo e a dosagem a ser usada deverá ser em função das plantas daninhas existentes e do seu estagio de desenvolvimento.

Mas o que o pecuarista não pode e não deve negligenciar é quanto ao controle das plantas daninhas invasoras das pastagens. Estas plantas contribuem em muito com queda da capacidade de suporte das pastagens e a diminuição da vida útil das pastagens.

Hoje com os custos de insumos elevados, as pressões ambientais e a necessidade de se produzir mais em menos área faz-se imprescindível manter as pastagens mais vigorosas e livres de plantas daninhas e manter-se um controle rígido sobre as mesmas.

Para mais informações entre em contato conosco pelo e-mail

 O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Wagner Pires

 

circuito da pecuaria pecuaria sustentavel pastagem sustentavel logo
Atendimento:

Seg.-Sex. (08h às 18h)

wpires@circuitodapecuaria.com.br

www.circuitodapecuaria.com.br

Cel/Whats: 55 19 98112-5298

Fone: 55 19 3894-1865

Skype: wagnerpires1

Rua Ernesto Ferrari, 54
Jd. Explanada II
Indaiatuba/SP
CEP - 13335-585

Cadastre-se e receba nossas novidades!

Passo a Passo - 10 Etapas